DESCOBRINDO A FELICIDADE

Você cresce com a crença de que sempre precisa de um milagre na vida. De que um ser celestial vai mudar sua sorte. De que algo vai cair do céu na sua frente, entre outras pérolas que ouvimos por aí… Então você acaba transferindo toda responsabilidade do seu destino a fatores externos ou terceiros.
Aí, repentinamente, você começa a aprender que tudo, exatamente TUDO, depende, EXCLUSIVAMENTE, DE VOCÊ. Que nada vai cair do céu. Que VOCÊ POSSUI UM POTENCIAL ILIMITADO.
Que você é capaz de transformar a sua vida. E que você também não pode colocar pessoas ou objetivos como o centro da sua vida, e sim algo que possa mudar e transformar a sua vida. Algo que possa despertar a sua boa sorte e te fazer feliz.
Felicidade permanente não é dinheiro, não é status, não é família, não é amigo, não é nada que seja externo e que na falta vai te fazer sofrer.
Felicidade permanente é você estar agradecido por estar vivo. É você ter sempre em mente que, independente de qualquer circunstância, você é feliz e vai superar tudo.
Felicidade é ter fé e entender que tudo está dentro de você e que você é capaz de transformar veneno em remédio.More-than-a-woman

Anúncios

A PROBLEMATIZAÇÃO DO AMOR

Amar as vezes dói e lidar com a dor é algo muito desnecessário. Ta bom, talvez devêssemos passar por isso pelo menos 1 vez na vida. Mas mesmo assim acho melhor estar com o coração limpo. Assim deve ser mais simples viver. Assim devemos levar uma vida mais light e sem problemas além dos de sempre.
Assim evitamos embrulhos no estômago e angústia chorosa que só serve pra borrar a maquiagem e molhar o travesseiro. E falo nesse tempo verbal, pois não lembro da última vez que meu coração esteve limpo. Sempre tinha lá uma sujeirinha. Um rapaz com nome de pasta de dente que fez o coração acelerar. Um melhor amigo que acabei confundindo a atenção com paixão. Um cara que eu odiava e que do nada passou a ser a salvação para os meus dias de solidão. O rapaz que vi no metrô. Ou aquele que era perfeito para mim, mas eu não era perfeita para ele.
Mas a questão é que quando você se dá conta de que não tem jeito começa a passar na rua e ver casais se beijando e vira o rosto com raiva da felicidade deles. Sim, é errado ter raiva da felicidade alheia, mas não é errado querer ser feliz. Talvez seja errado ficar com raiva de não ter isso. Pode ser infantil também, mas é um sentimento automático e humano. Pode ser também que você rejeite todos os filmes e séries românticas e se concentre no sentimento do Ted ao ser rejeitado pela milésima vez pela Robin em How I Met Your Mother. Ou que volte a tona a sua revolta de o Lucas não ter ficado com a Brooke em One Tree Hill. O que pode vir a ser um ponto negativo se você ainda por cima resolver que se identifica com os personagens.
O problema também é quando o amor se apresenta de forma inconstante e incerta. E é por conta dessa incerteza que pecamos. Sabe aqueles dias de ansiedade que passamos pra saber se conseguimos ou não aquele emprego? Então, sabe essa sensação? Quando a gente gosta de alguém isso triplica. E tem gente que sai comendo tudo que vê na frente. Alguns bebem pra esquecer. E tem pessoas que, como eu, abrem a boca e falam tudo o que sentem na esperança de acertar o coração e a mente da pessoa com uma palavra. E aí que começam as angústias e os embrulhos.
Imaginem 2 mundos diferentes. Imaginem o planeta Terra se relacionando com Plutão. Imaginem um Ursinho Carinhoso tentando se relacionar com o Malvado. Imaginem Donald Trump com a Glória de Modern Family. Imaginem o Jon Snow com a Cersei.
São pessoas totalmente diferentes. São universos diferentes. Educações diferentes. Culturas diferentes. Manias diferentes. Então juntar toda essa bagagem requer muito esforço e significa abrir mão de coisas que as vezes não queríamos.
Percebe a bagunça que tem pra arrumar? Percebe que só vale a pena lutar quando há alguma reciprocidade, pois do contrário você vai ter que trazer tudo de volta e arrumar no lugar?
Amar é uma droga quando se ama sozinho. Amar nem é mais amor quando a gente não se ama. Toda poesia que antes líamos suspirando se transforma em um conto de terror e nos tornamos criancinhas de 5 anos de idade.
Na verdade a gente tem a mania boba de não querer gostar de ninguém nunca mais. Até que acontece de novo. E de novo. E de novo. Até que chegamos ao ponto pessimista inicial do texto. E nada nos tira da cabeça que o melhor é estarmos sozinhos, livre, leves e soltos. E tudo não passa de problematização besta. O amor é o melhor dos sentimentos. Amar nos torna vivos. Ter sentimentos bons por alguém nos tornam melhores e capazes de lutar pelo que acreditamos. Perceba que não tem como lutar contra isso ou controlar. Acontece e pronto. Sem pessimismo. Lance normal. Segue o jogo.

how-i-met-your-mother-sunrise


Lembranças e Fotografias

Um dia desses estava vendo fotos de uns lugares. Uns daqueles clichês que geralmente todo mundo frequenta. Só que repentinamente lembrei que eu já estive com algumas pessoas nesses locais. E por um instante me peguei nostálgica. Tudo ao redor desapareceu. Todos os meus problemas desapareceram. Todos os ruídos silenciaram e eu caí de cara naquelas fotografias. Só que era uma nostalgia meio traiçoeira. Um sentimento falso de melancolia que eu não sei explicar. É como se por um milésimo de segundo eu tivesse sentido falta de um registro, mas de algo que jamais aconteceu. De uma felicidade que jamais esteve presente naquele lugar enquanto eu estive por lá. Como se eu tivesse alimentado, pela bilionésima vez, uma ilusão resultante de uma carência incompreensível e irritante. Algo que qualquer um poderia olhar e afirmar, com todas as letras, que estou louca por ter fraquejado naquele instante, que deveria ficar alerta para sempre para nunca mais repetir esse devaneio, e que deveria concentrar em coisas mais importantes.

Após esse acontecimento lembrei-me de uma amiga, que sempre dizia que eu era complicada e teimosa que nem uma mula quando empacava numa ideia. E eu realmente continuava intrigada por conta do havia acontecido. Como posso ainda sentir algo, nem que por um milésimo de segundo, olhando uma foto? Por qual motivo essas fotografias tiveram esse poder quase sombrio sobre mim?

Alguns minutos depois descobri que aquilo só era um desejo cravado em minha mente. E por mais que aqueles momentos na realidade fossem cruéis, sempre existiu um anseio disparatado de que tudo fosse diferente.

Foi aí que num outro instante me dei conta de que o tempo passa, as pessoas passam. Os lugares mudam, as pessoas mudam. A saudade é esquecida, as pessoas nos esquecem. Que muita vezes o tempo é descartado, as pessoas nos descartam. Que a felicidade pode ser uma ilusão, as pessoas se iludem. E que nada dura para sempre, mesmo quando a gente insiste dando murros na ponta da mesma faca que já quase cortou o nosso braço.

Mas as fotografias estão aí nos lembrando do que fomos. Do queríamos ser e viver em cada momento. E do que acabamos nos tornando após suposta tragédia de nossas vidas que, de sempre projetadas, quase nunca vividas.

434a806ffb72f4fad68b40b338013f1d


Ainda bem que a noite não tem sol

Ainda bem que a noite não tem sol, pois aí aproveito aquela leve brisa da noite para refletir, e acabo percebendo que tudo agora está no lugar certo, e a felicidade chegou.
Ainda bem que a noite não tem sol, e no lugar do sol tem a lua, e ela está linda essa noite. E falando em beleza amor, lembro de você, e a minha felicidade está em cada sorriso seu.
Ainda bem que a noite não tem sol, e assim consigo enxergar as estrelas, e falando de estrela baby, lembro do seu olhar que me congela e me faz perceber que a felicidade existe sim, e ela só é possível ao seu lado.
E digo mais uma vez, AINDA BEM QUE A NOITE NÃO TEM SOL, e assim posso me inspirar para fazer um versinho pra você, mas não é qualquer versinho, é um gesto de carinho.
Ainda bem que a noite não tem sol, ainda bem… E ela por não ter o sol se torna noite. E a lua representa a noite. E fico pensando, -como pode a noite se tornar completa sem o sol? Logo o sol que ilumina tudo por onde passa! Então lembrei que a lua de vez em quando vai encontrar o sol, e imagino que ela deve esperar por esse momento ansiosamente, e quando chega, ela aproveita como se fosse o último instante dela no universo.
Ainda bem que a noite não tem sol, e assim a lua pode sentir saudade, e quando eles se encontram o tempo para, e o mundo todo percebe que eles estão juntos, e que juntos eles se tornam um só. 
E não é mais noite, podemos dizer que é um meio dia, onde um se doa para o outro. Onde o sol percebe que com a lua o universo fica mais extraordinário, e só ela pode fazer com que essa mágica aconteça. E nenhuma estrela ou outro planeta dentro da via láctea (ou mesmo fora) pode ser como a lua, nenhuma outra pode estar no lugar dela, pois a lua é tudo o que o sol precisa para o eclipse acontecer… E eu escrevi isso tudo amor só para tentar te explicar e dizer que na minha vida só faltava você! 

Imagem

 


Fundo do poço

Sabe quando acontecem coisas em nossas vidas e mesmo que tentemos entender o propósito delas nós não conseguimos entender, e tudo sai do nosso controle e não nos resta nada além de confiar em Deus?
É, eu sei muito bem o que é isso. Já aconteceu comigo duas vezes. Na primeira vez eu tive 50% de culpa, e as consequências foram tão traumatizantes que eu perdi todos os meus sonhos, entrei em depressão e vejo até hoje os efeitos em minha vida.
Demorei um bom tempo pra conseguir sonhar outros sonhos. Mas eu consegui!
E agora que consegui me reorganizar, aconteceu tudo outra vez, mas dessa vez a culpa não foi minha.
Sabe aquele papo da borboleta? Que ela bate a asa aqui e do outro lado do mundo acontece algo devido a esse movimento? Então, acho que estou começando a crer nisso. Mas fico pensando no que devo fazer dessa vez, e até agora fiz tudo o que podia, creio que fiz até além.
Eu não tenho mais forças para não me abater, estou fraca, estou dramática e estou escrevendo. Estou no fundo do poço, agora é só eu subir. Pois do fundo do poço eu posso ver a luz lá em cima. E apesar de não ter mais força, farei de tudo pra não perder essa batalha.
Parece até que Deus está me testando. Não sei bem os planos d’Ele pra minha vida, só sei que tudo isso está doendo muito.
As pessoas em que eu esperava apoio parece que nem se preocupam comigo. A vontade de chorar aumenta a cada respiração fraca.
Estou juntando todas as forças, toda a esperança e clamando a Deus. Acho que também estou começando a entender quando dizem: “Quando estou fraco aí é que estou forte”.
Me recordo de Jó, que perdeu mais do que os sonhos, ele perdeu a família e toda a sua riqueza. E ainda ganhou dor física, mas nunca deixou de ser fiel a Deus. Preciso ser igual a Jó, pois Deus só prova quem Ele quer aprovar.
Mesmo eu aqui, sentada num pátio, escrevendo e desabafando toda a minha angústia, nenhum sentimento ruim e nenhum porcento de ansiedade foi embora.
Mas, repentinamente, lembro-me de que meu Redentor vive, e que Ele me ama, e me cura de toda dor.
A partir desse momento entrego à Ele toda a minha vida, todos os meus sonhos, desejos, dores e ansiedades, me sinto incrivelmente forte e minha esperança ressurge.
Se isso já aconteceu com você, ou se você está passando por isso, confie em Deus, pois em nossa vida Ele é a nossa única esperança, e Ele nunca nos abandonará!

Indico uma música do Thalles Roberto chamada “Nada além de Ti”.


My Valentine’s Day

A pressão que uma pessoa solteira sofre no dia dos namorados é uma coisa terrível, pois um dia antes, aqueles seus amigos que namoram e fazem um par perfeito, ficam tirando sarro com sua cara, e pensam que você lida muito bem com a situação.

Um dia antes, quando deitei pra dormir, veio aquele sentimento de solidão terrível, me senti muito melancólica, pois afinal eu não ganharia nenhum presente, ninguém me ligaria 00:00h e falaria: Eu te amo, obrigado por existir na minha vida! Ninguém sentiria minha falta.

Quando todas as luzes estavam apagadas há mais de 15 minutos, eu me dei conta de que minha mente ainda estava ligada, e que eu não conseguia me desligar dos meus devaneios. Comecei a mandar SMS, aí mandei pra uma amiga, fazendo piadinha com o dia dos abobalhados; mandei pra outra, agradecendo pela amizade; mandei (erradamente) pra um que me decepcionou muito dizendo que ainda gostava dele; mandei pro outro que eu queria estar com ele, mas nem por um decreto eu admitiria isso. E assim foi até 01:30h da madrugada.

Aí quando eu pensei: – Ahh! vou parar com isso, é muita bobeira pro meu gosto, afinal, eu sempre fui aquela pessoa que sempre dizia que não queria e nem precisava de um namorado. Quando eu pus isso na minha cabeça meio que querendo acreditar no que eu dizia, começou a tocar a música “my immortal”; fiquei pior ainda; eu queria muito saber quem estava na praça de frente a minha casa tocando essa música, no mínimo a pessoa não tem namorada (o).
Eu tinha ido dormir, porque minha internet não queria funcionar, e isso era muito ruim, pois eu já tinha planejado como iria passar meu domingo, eu nem iria sequer lembrar o dia dos namorados.
Liguei pra minha amiga Katiúscia (sim o nome dela é esse), e conversei um pouco, e era nítido que ela queria dormir, foram exatos 5 minutos. E isso não foi capaz de parar com o meu desespero de estar sozinha.

O vazio surgiu…

E eu me lembrei de uma frase que diz: “O que é o amor, quando não se tem ninguém?”. Alguém pode me dar essa resposta? Pois eu sinto amor, mesmo sem ninguém, e meu amor é por alguém que eu nem conheço. E eu nunca admitiria isso.

O vazio persistia em continuar…

Ouvi dizer que os poetas eram as pessoas mais deprimentes que já existiram, e eu não estava lá pra ver em que situação a Clarice Lispector se encontrava ao escrever seus brilhantes textos, mas eu entendo a necessidade de escrever, de passar pro papel o que se pensa, pois a linha de raciocínio vem e vai rapidamente. E escrevendo aqui, eu esqueço que é dia dos namorados, eu esqueço que amanhã tenho que ir pro estágio, esqueço dos problemas. Então, como eu posso ser deprimente, se isso me faz bem?

E o vazio vai embora… E ele vai como se nunca estivesse me acompanhado antes!

E eu durmo, sonho com o paraíso, e acordo numa manhã ensolarada. E mesmo que aqueles sentimentos voltem ao anoitecer, eu me lembrarei da manhã que sempre me faz bem. E isso me faz querer viver!
Quando estou escrevendo, me sinto conversando comigo mesma, como se eu estivesse diante d’um espelho, e falando comigo sobre o que eu penso e espero.
O pior é que as pessoas estão ao lado ouvindo minha conversa, só ouvindo, ninguém tem uma resposta ou uma solução, ninguém repara nas coisas sutis, as pessoas só olham assustadas e acreditam que tudo o que eu falo diante do espelho é verdade.
Ahhh! Se ao menos alguém pudesse me conhecer, e entender que escrevo por uma inspiração que eu amo, mas que nem ao menos conheço!

Isso seria deprimente!

Música: My Immortal – Evanescence


Pessoas do universo: Atenção!!!

A vida possui uma inconstância tão sinistra que, as vezes chego a me irritar com isso.
-Conheço as pessoas, acho elas um máximo. Elas me acham legal. Começo a conversar, a pessoa começa a me conhecer, e pronto, daí começa a amizade. Aquela amizade verdadeiramente fantasiosa. Aquela que depois de um lindo mês, eu começo a conhecer a famosa época em que elas “mostram as garrinhas”.
Confesso que conheço pessoas maravilhosas (…) Porém, outras nem valeria a pena esse texto para elas. Mas, como peguei o caderno no meio da aula de direito penal, parece que a revolta aumentou.
Existe um termo no direito penal chamado Exigibilidade de Conduta Diversa, que decorre da possibilidade de se exigir, ou não, um comportamento do sujeito conforme o direito.
Então, eu, mais uma pessoa sentimental do universo, gostaria de exigir do mundo, um pouco mais de paciência e serenidade.
Custa tratar as pessoas bem?
Custa cultivar uma bela e meiga amizade?
Mas não era exatamente sobre isso que eu queria escrever.
Quero falar das pessoas que são fruto da nossa imaginação.
Existem pessoas que são melhores do que eu imagino, e tem aquelas que são melhores na minha imaginação.

Minha mente viaja tanto que, antes de conversar com as pessoas, eu ja imagino como elas são. E as vezes da vontade de deixá-las na imaginação para sempre. Pois la elas não me magoam, chateiam, decepcionam, não brigam comigo…
E realmente eu espero, querido leitor, que você não seja mais uma dessas pessoas que eu preferi deixar na imaginação!

 

 

Música -> Muse – Hysteria